15 outubro, 2014

Luva eletrônica traduz Libras em som e texto



Estudantes de Engenharia Eletrônica do Instituto de Tecnologia Aeroespacial (ITA) de São José dos Campos, no interior de São Paulo, estão desenvolvendo uma luva eletrônica que pode facilitar a comunicação dos deficientes auditivos. O projeto Quiros consiste em um software que converte os sinais da Língua Brasileira de Sinais (Libras) usada por deficientes auditivos em som e texto.

O equipamento capta o movimento e o contato entre os dedos por meio de sensores, de acordo com a velocidade de cada gesto e sem utilizar cabos. Os sinais são enviados a um computador que faz a tradução.

“Nosso projeto consiste basicamente em duas partes: uma eletrônica e uma computacional. Com a parte eletrônica, a gente consegue identificar como a mão se localiza no espaço, então, por meio de uma série de sensores a gente envia informações para o computador que entende as informações e interpreta como um gesto”, explica o estudante Daniel Schwalbe Koda.

De acordo com os estudantes que desenvolvem o projeto, o custo inicial foi de R$ 600 e a intenção é que no futuro a tecnologia possa ser adaptada a celulares. “Tivemos que desenvolver todo um sistema de comunicação, protocolo e códigos para que nossa mão conseguisse se comunicar com o computador e, possivelmente, com dispositivos smartphones, no futuro”, afirmou o estudante.
No futuro, os universitários pretendem aprimorar o aparelho que começou a ser criado em uma aula de engenharia e desenvolver a invenção e codificar todos os sinais da linguagem sincronizando com outra luva para ajudar pessoas com deficiência auditiva. “A gente quer usar problemas reais para trazer as ferramentas da engenharia e o ensino da engenharia em problemas aplicados. Isto é estimulante para o aluno, que tem um potencial de desenvolver empreendedorismo também”, disse o professor Anderson Borilli.

03 outubro, 2014

Ciclo mãos que falam - SESC São Paulo

CULTURAS E IDENTIDADES SURDAS


A afirmação das culturas e das identidades surdas traz à tona novas formas de se compreender a surdez: ser surdo hoje firma-se, sobretudo, como uma questão identitária, fundada em um substrato cultural específico.
Com César Augusto de Assis Silva, psicanalista. Doutor em Antropologia Social pela USP. Pesquisador associado do Cebrap e do NAU-USP.

Com Celma Juliane Siqueira Gomes, psicóloga. Atende crianças, jovens e adultos surdos. Pós-graduanda em Educação, com ênfase em Libras (Língua Brasileira de Sinais) e Educação para Surdos.

Com mediação de Hugo Eiji, mestre em Ciências da Cultura pela Universidade de Lisboa, 

Estudos Surdos


Influenciados pela perspectiva teórica dos Estudos Culturais, os Estudos Surdos se lançam na luta contra a interpretação da surdez como deficiência, contra a definição da surdez enquanto experiência de uma falta. Os surdos – no sentido de grupo organizado culturalmente - se definem de forma cultural e linguística.

Com Regina Maria de Souza, doutora em Linguística pela Unicamp. Atua principalmente nos seguintes temas: inclusão e exclusão; educação bilíngue; língua e identidade; língua de sinais e educação de surdos.

Com Ana Regina Campello, doutora em Educação pela UFSC. Dedica-se aos seguintes temas: língua de sinais; educação dos surdos; educação inclusiva; intérprete de língua de sinais; comunidade surda e defesa dos Direitos dos Surdos. 
Com mediação de Hugo Eiji, mestre em Ciências da Cultura pela Universidade de Lisboa, autor do blog CulturaSurda.net. Atua com projetos de educação de surdos na ONG Mais Diferenças.


Educação para surdos

Escolas e salas para surdos ou inclusão no ensino regular? Língua de sinais como língua de instrução ou como língua de tradução? Essas e outras tantas questões reacendem a militância política entre o povo surdo, criando (dis)tensões e articulações que engendram uma série de novos enunciados sobre a surdez e as línguas de sinais. 

Com Regiane Agrella, docente da UFSC.  Doutoranda em Educação na Unicamp e professora de Libras na PUC-Campinas e PUC-SP. Trabalha com os seguintes temas: educação de surdos; tradução e interpretação de LIBRAS, entre outros. 

Com Cassia Sofiato, doutora em Artes pela Unicamp e graduada em Pedagogia - Formação de professores para a área de Educação Especial pela PUC de Campinas. Docente da Faculdade de Educação da USP. Possui proficiência em Libras e atua como intérprete.

Com mediação de Hugo Eiji, mestre em Ciências da Cultura pela Universidade de Lisboa, autor do blog CulturaSurda.net. Atua com projetos de educação de surdos na ONG Mais Diferenças.

Mediação Cultural em Libras

O mediador cultural em Libras tem um importante trabalho educativo e político. Possibilita que o público surdo se aproprie do patrimônio cultural e auxilia os gestores dos ambientes culturais a construir, adaptar e inovar propostas de acessibilidade.

Com Sabrina Ribeiro, formada em Artes Visuais pela Faculdade Paulista de Artes (FPA). Educadora na Pinacoteca do Programa Educativo Públicos Surdos (PEPE).

Com Leonardo Castilho, educador surdo do Museu de Arte Moderna de São Paulo. Integrante do coletivo de artistas e educadores Corposinalizante, idealizador e responsável pela equipe Vibração e Sencity.

Com mediação de Hugo Eiji, mestre em Ciências da Cultura pela Universidade de Lisboa, autor do blog CulturaSurda.net. Atua com projetos de educação de surdos na ONG Mais Diferenças.

Interpretação em ambientes culturais – Libras

Sujeitos surdos, assim como ouvintes, podem e querem usufruir de produtos culturais, mas para que isto ocorra, além das produções original e culturalmente surdas, a acessibilidade em Libras das diversas ofertas culturais é imprescindível. Dessa forma, a interpretação para Libras nos espaços de circulação da cultura , também, imprescindível. 

Com Juliana Fernandes, bacharel em Tradução e Interpretação pelo Letras-Libras da UFSC/UNICAMP. Tradutora e Intérprete de Libras/Português certificada pelo PROLIBRAS/MEC. Integrante da equipe técnica da empresa ProDeaf e atuante no gênero da interpretação artística.

Com Mirian Caxilé, graduada em Pedagogia e Letras com habilitação e bacharelado em Libras/ Língua Portuguesa pela UFSC. Tradutora intérprete de Libras certificada pelo PROLIBRAS/MEC. Atua como tradutora intérprete de Libras em eventos científicos, artísticos e culturais.

Com mediação de Hugo Eiji, mestre em Ciências da Cultura pela Universidade de Lisboa, autor do blog CulturaSurda.net. Atua com projetos de educação de surdos na ONG Mais Diferenças.

Novas tecnologias de comunicação para surdos

Neste encontro são discutidas as tecnologias de comunicação para surdos, como o aplicativo Whatscine, que possibilita o acesso ao cinema para surdos e cegos. 

Com Pedro Berti, bacharel em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas (EAESP-FGV). Gerente de Atendimento a Clientes do WhatsCine Brasil.

Com Neivaldo Zovico, pós-graduado em Educação Especial da Áudio-Comunicação para deficientes auditivos pela UNIFMU e graduado em Letras/Libras pela UFSC. Coordenador Nacional de Acessibilidade para Surdos da Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos - FENEIS. 

Com mediação de Hugo Eiji, mestre em Ciências da Cultura pela Universidade de Lisboa, autor do blog CulturaSurda.net. Atua com projetos de educação de surdos na ONG Mais Diferenças.

valores e datas no link abaixo


24 setembro, 2014

Mês de Setembro - São Paulo Mais Inclusiva

 No mês do Dia Nacional de Luta pelos Direitos da Pessoa com Deficiência, a Prefeitura de São Paulo promove uma série de atividades inclusivas em esporte, musica, artes e muito mais.


25/09 (Quinta feira) Local: Biblioteca Pública Mário Schenberg – Rua: Catão,611 – Lapa – (11) 3672-0456 14h - Coral de Libras - Coral de Libras da Assistência Social de Osasco Interpretação em libras de canções de conhecimento popular
Local: Biblioteca Pública Paulo Setúbal – Av. Renata,163 – Vila Formosa – (11) – 2211-1508 14h30 – Teatro - Epifrania Cia. De Teatro Interferência teatral e sensibilização
Local: CEU Caminho do Mar - Av. Eng° Armando de Arruda Pereira, 5241- Jabaquara 14h - Palestra "É preciso saber vivier" - Dudu Braga Na palestra, Dudu Braga aborda temas como preconceito, cidadania, inserção da pessoa com deficiência no mercado de trabalho, inclusão, superação de obstáculos, sonhos e conquistas, com o objetivo de fortalecer a ética e a responsabilidade social dos cidadãos.

26/09 (Sexta- feira)
Local: Biblioteca Pública Mário Schenberg – Rua: Catão,611 – Lapa – (11) 3672-0456 11h - Oficina de Argila Oficina de modelagem de argila tratando do tema de um fazer artístico que não depende da visão explorando os demais sentidos
Local: Biblioteca Pública Sérgio Buarque de Holanda – Rua: Vitório Santim,44 – Itaquera - (11) 2205-7406 14h – Discotecagem - Anderson Mata Bate-papo com o público com depoimento e apresentação
Local: Biblioteca Pública Alfonse Taunay – Rua: Taquari, 549 – Mooca- (11) 2292-5126 14h- A Árvore de Palavras - Grupo Êba Um evento que utiliza percussão, brincadeiras e uso da língua de sinais, histórias são adaptadas a uma proposta bilíngue, na qual tudo deve fazer sentido por aqueles que ouvem e os que não.
 Local: Biblioteca Pública Álvares de Azevedo – Praça: Joaquim José da Nova, s/n – Vila Maria – (11) 2954-2813 14h30 - Teatro - Epifrania Cia. De Teatro Interferência teatral e sensibilização Local: Centro Cultural São Paulo - Rua: Vergueiro, 1000 – Liberdade (11) 3397-4002 (visitasccsp@prefeitura.sp.gov.br) 15h - Passeio no Escuro O Passeio no Escuro é uma ação de sensibilização que, a partir da experiência do uso do piso tátil (piso em relevo utilizado por pessoas que possuem deficiência visual para se orientar), pretende nos aproximar da perspectiva daqueles que não enxergam e usam esse piso para percorrer os espaços do Centro Cultural. Grupos de até 15 pessoas são vendadas e, com o auxílio de uma bengala, andam pela instituição com a ajuda de uma guia não vidente. Após o trajeto, abre-se uma roda de conversa para tratar de impressões, sensações e ideias de possíveis melhorias para tornar este espaço mais acessível.

27/09 (Sábado)
Local: Galeria Olido – Centro de Dança Umberto da Silva (Sala Café) – Avenida São João,473 – Centro – (11) 3331-8399 14h às 18h - Jam Inclusiva de Conatto Improvisação A Galeria Olido oferece esta oficina que promove o contato improvisação. Guiados por um ponto de contato, os dançarinos investem no fluxo de movimento sem saber exatamente onde isso os levará. O objetivo é olhar para a deficiência e para a arte em conjunto.
 Local: Centro Cultural São Paulo - Rua: Vergueiro, 1000 – Liberdade - (11) 3397-4002 (visitasccsp@prefeitura.sp.gov.br) 10h30 às 12h “A Cidade e as Serras” de Eça de Queiróz Ciclo de palestras sobre livros do vestibular com interpretação em Libras. Palestrante: Hélder Garmes (USP) Local: Centro Cultural São Paulo - Rua: Vergueiro, 1000 – Liberdade - (11) 3397-4002 (visitasccsp@prefeitura.sp.gov.br - Sala de Leitura Infanto-juvenil da Biblioteca Sérgio Milliet 14h30 – Historietas e Assombretas – com interpretação em Libras A CIA. Arte Negus com seus personagens Cabeça e Magreta, que são dois amalucados fantasmas que conhecem histórias de diferentes criaturas que habitam as fantasiosas terras de onde eles vêm. Essas criaturas contam suas histórias para eles, que, por sua vez, contam para todas as pessoas que encontram pelo caminho. Se cada criatura sobrenatural tem uma função, a deles é contar histórias de assombração.

28/09 (Domingo)
Local: Centro Cultural São Paulo - Rua: Vergueiro, 1000 – Liberdade - (11) 3397-4002 (visitasccsp@prefeitura.sp.gov.br - Sala de Leitura Infanto-juvenil da Biblioteca Sérgio Milliet 14h30 – Historietas e Assombretas - com interpretação em Libras A CIA. Arte Negus com seus personagens Cabeça e Magreta, que são dois amalucados fantasmas que conhecem histórias de diferentes criaturas que habitam as fantasiosas terras de onde eles vêm. Essas criaturas contam suas histórias para eles, que, por sua vez, contam para todas as pessoas que encontram pelo caminho. Se cada criatura sobrenatural tem uma função, a deles é contar histórias de assombração.

 30/09 (Terça- feira) 
Local: Biblioteca Pública José de Anchieta – Rua: Antonio Maia,651 – Perus (11) 3917-0751 14h30 – Teatro – Epifrania Cia. de Teatro Interferência teatral e sensibilização
Local: Centro Cultural São Paulo - Rua: Vergueiro, 1000 – Liberdade - (11) 3397-4002 (visitasccsp@prefeitura.sp.gov.br) - Sala Adorian Barbosa 13h às 16h - Alma de Batera - Paul Georges Lafontaine O projeto Alma de Batera tem o objetivo de oferecer oficinas de bateria para pessoas com deficiência e estimular o desenvolvimento global do aluno, incentivando seus potenciais e habilidades, através de atividades pedagógicas e dinâmicas corporais.

Happy em Libras

Essa música fez muito sucesso em 2014, nas rádios e Tvs.
Naiane Olah interpreta a música em Libras e consegue transmitir a leveza e a alegria que a música proporciona para os ouvintes.




Vídeo Oficial com o cantor Pharrell Williams