01 fevereiro, 2016

Protesto em versos e em língua de sinais espanhola



 Si hace "oidos sordos" de nuestras peticiones y de nuestro sufrimiento, se lo explicamos con la lengua de signos

Livro: Quem é essa Tagarela?



Deficiente auditiva de nascença e oralizada. Cris Bicudo nasceu em 1975, com perda auditiva severa e profunda devido a rubéola que sua mãe teve no 4º mês de gestação. Cris não teve uma infância “ouvinte”, pois do mundo dos silêncios foi introduzida precocemente ao mundo dos sons, graças ao uso dos aparelhos auditivos desde um ano e meio de idade. Com intenso trabalho de reabilitação auditiva envolvendo a fonoaudióloga e toda família (pais, irmãs, primos, tios e avós), aos dois anos já estava “falando”.

Nessa obra, Cris Bicudo apresenta sua história de forma divertida e inusitada. Com o foco na questão da deficiência auditiva, Cris consegue compor cada sentença de forma leve sobre os diversos acontecimentos que permearam sua vida. Traçando um panorama de sua infância até as viagens realizadas recentemente, a autora consegue demonstrar as dificuldades por quaiscaminha e ao mesmo tempo desmitificar a ideia de limitação que cerca os deficientes. Um livro como este é um estímulo aos deficientes auditivos, às suas famílias, aos profissionais envolvidos em reabilitação e aos pesquisadores que procuram novas soluções.

31 janeiro, 2016

Microcefalia - protocolo atualizado




 Microcefalia (do grego mikrós, pequeno + kephalé, cabeça) é uma condição neurológica em que o tamanho da cabeça e/ou seu perímetro cefálico occipito-frontal (OFC) é dois ou mais desvios padrão abaixo da média para a idade e sexo. [1] [2] Também chamada de Nanocefalia, diferenciam-se diversas formas de manifestações clínicas e etiologias

http://pt.slideshare.net/Marcusrenato/microcefalia-protocolo-atualizado-de-vigilncia-e-resposta-ocorrncia-emergncia-de-sade-pblica-nacional

17 janeiro, 2016

11 janeiro, 2016

Os desafios da surdocegueira



Em um pequeno documentário produzido pela TV Estadão, Cláudia Sofia e seu marido Carlos Jorge (ambos surdocegos de São Paulo) contam sobre alguns desafios enfrentados por pessoas surdocegas. Das formas de comunicação (como o Tadoma, a Libras Tátil ou o Braille Tátil) às práticas esportivas (em que há espaço até para esportes radicais), os dois entrevistados mostram um breve recorte de seus cotidianos.

07 janeiro, 2016

Brinquedos e brincadeiras para todos!




Compartilho com vocês a cartilha elaborada pelo Instituto Mara Gabrilli que traz o passo-a-passo para adaptar brinquedos e brincadeiras e estimular crianças de todas as idades a desenvolverem suas capacidades, por meio do brincar.
Através dos brinquedos e das brincadeiras as crianças desenvolvem suas habilidades, percepções, raciocínio, criatividade e aprendem sobre sua relação com si mesmas e com o outro. No caso das crianças com deficiência, o brincar também é utilizado como instrumento para que elas superem
suas dificuldades. Elas devem ser o tempo todo estimuladas a encontrar sua autonomia, por mais trabalhoso e demorado que possa parecer esse processo.
Para fazer o download é só clicar no link a seguir: http://img.org.br/images/stories/pdf/brinquedos.pdf
Descrição da imagem para cego ver: em um fundo de madeira estão vários materiais como canetas, jornal, tesoura e papeis. Ao centro está o nome da cartilha.