30 julho, 2014

Estudos sobre a Deficiência: Mesas Redondas - de 13 a 15 de Agosto.

PROGRAMAÇÃO

Capitalismo, Sustentabilidade & Deficiência - Dia 13, das 14h às 16h
Wederson Rufino dos Santos (Anis / INSS)
Assistente Social graduado pela Universidade de Brasília (UnB) em 2007. Mestre em Política Social e doutorando em Sociologia também pela UnB. Finalista do Prêmio Destaque do Ano de Iniciação Científica de 2007, prêmio organizado pelo CNPq. Chefe da Divisão do Serviço Social do INSS. Pesquisador da Anis: Instituto de Bioética, Direitos Humanos e Gênero. Membro do Grupo de Pesquisas Feminismo, Direitos e Políticas, do Departamento de Serviço Social da UnB. Professor do curso de Serviço Social da Faculdade de Ciências da Saúde (FACISA) de Unaí-MG desde agosto de 2011.

Cláudia Werneck (Escola de Gente)
Idealizadora da Escola de Gente - Comunicação em Inclusão. Em nome desta ONG recebeu, em 2011, a mais alta condecoração oferecida pelo Estado brasileiro: “Prêmio Direitos Humanos” da Presidência da República. Escritora, pesquisadora, articulista, consultora, ativista e palestrante internacional. Tornou-se, no ano de 2000, a primeira escritora no Brasil a ter sua obra recomendada simultaneamente por UNESCO e UNICEF. Em 2014 a Fundação Essel reconheceu que a Escola de Gente é um dos “40 projetos mais inovadores do mundo” na área de inclusão. Claudia Werneck é formada pela UFRJ com especialização em Comunicação e Saúde pela FIOCRUZ. Publicou 14 livros sobre direitos humanos, diversidade e inclusão para crianças e adultos/as (WVA) em português, espanhol e inglês, com mais de 300 mil exemplares vendidos.
Educação & Deficiência - Dia 14, das 14h às 16h

Maria Teresa Mantoan (Unicamp)
Pedagoga mestre e doutora em Educação pela Faculdade de Educação da UNICAMP. Professora dos cursos de pós-graduação da Faculdade de Educação da UNICAMP. Coordenadora do Laboratório de Estudos e Pesquisas em Ensino e Diferença - LEPED/ UNICAMP. Cavaleira da Ordem Nacional do Mérito Educacional pelos relevantes serviços prestados à educação brasileira.
Adriano Nuemberg (UFSC)
Professor do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da UFSC. Psicólogo, Mestre em Psicologia e Doutor em Ciências Humanas. Coordena o Núcleo de Estudos sobre Deficiência da UFSC e tem publicado artigos e capítulos sobre essa temática.

Maria Cristina da Cunha Pereira (Derdic / PUC-SP)
É graduada em Letras (Português-Inglês) pela Universidade Mackenzie, tem mestrado em Linguística Aplicada ao Ensino de Línguas pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e doutorado em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas. É professora titular da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e linguista da Divisão de Educação e Reabilitação dos Distúrbios da Comunicação, da PUCSP. É professora da parte teórica da disciplina de LIBRAS, da PUCSP, pesquisadora na área da surdez e tem publicações na área de aquisição da Libras e da Língua Portuguesa por crianças surdas.
Fábio Adiron (ESPM)
Pai de duas crianças (uma com Síndrome de Down), é consultor e professor de marketing. É membro da Comissão Executiva do Fórum Permanente de Educação Inclusiva. Moderador do grupos Síndrome de Down e colaborador de publicações ligadas à educação e inclusão (Rede Saci, Planeta Educação, Tópicos em Autismo e Inclusão).
Maturidade & Deficiência - Dia 14, das 16h:30 às 18h:30

Lia Crespo (Memorial da Inclusão / SEDPcD)
Graduação e mestrado em Jornalismo e doutorado em História Social, pela Universidade de São Paulo. Militante do movimento social das pessoas com deficiência desde 1980, cofundadora do Núcleo de Integração de Deficientes (NID) e do Centro de Vida Independente Araci Nallin. Autora do livro infantil Júlia e seus amigos (Nova Alexandria, 2005), que trata de deficiência, preconceito, educação inclusiva e a importância da amizade para a construção de uma sociedade para todos.
Izabel Maria Loureiro Maior (UFRJ)
Mestre em Fisiatria e docente da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Participou da criação e foi titular da Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência, de 2002 a 2010. Atuou diretamente da elaboração da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência na ONU e liderou o processo de sua ratificação. Coordenou a elaboração dos decretos da acessibilidade e do cão-guia entre outros. Está no movimento de luta desde 1977 e idealizou o projeto da História do Movimento Político das Pessoas com Deficiência no Brasil, lançado em 2010. Recebeu prêmio da Organização dos Estados Americanos – OEA, em “Reconhecimento por seu trabalho para um Continente Inclusivo”. Autora, conferencista, consultora e fonte de referência nos temas: pessoas com deficiência, políticas públicas, direitos humanos, acessibilidade e inclusão social.

Marta Fuentes Rojas (Unicamp)
Psicóloga, mestre em educação e doutora em Saúde Coletiva. Docente e pesquisadora da Faculdade de Ciências Aplicadas da Universidade Estadual de Campinas. Discute a questão do adulto na pessoa com deficiência intelectual. Trabalha com grupos em situação de risco e vulnerabilidade (adolescentes, pessoas com deficiência, comunidades). Educação em saúde. Coordenadora do Laboratório de Psicologia, Saúde e Comunidade. Ministra as disciplinas de Psicologia e Saúde coletiva nos cursos de Ciências do esporte e no curso de Nutrição.
Comunicação & Deficiência - Dia 15, das 14h às 16h

Jairo Marques (Folha de São Paulo)
Atuou como repórter da Agência Folha durante sete anos participando das mais diversas coberturas pelo país. Ingressou no jornal Folha de S.Paulo por meio do programa de treinamento da 27ª turma, em 1999, meses após se formar em jornalismo pela UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul). Tem pós-graduação em Jornalismo Social pela PUC-SP. Foi chefe de reportagem, coordenando a produção da equipe de correspondentes nacionais do jornal e mais um grupo de repórteres na sede, em São Paulo. Atualmente, é colunista do caderno “Cotidiano”, da Folha de SP. Escreve sobre cidadania, direitos humanos e aspectos da vida da pessoa com deficiência. Também mantém o blog "Assim como Você", na plataforma online do jornal, onde se dedica a debates sobre acessibilidade, inclusão e demais assuntos relacionados à deficiência física, sensorial e intelectual. É cadeirante desde a infância.

Lúcio Carvalho (Inclusive)
Coordenador-Geral da Inclusive - Inclusão e Cidadania: agência para promoção da inclusão (www.inclusive.org.br) e autor de Morphopolis (www.morphopolis.wordpress.com).

Lara Pozzobom (Lavoro Produções)
É diretora e curadora do Festival Assim Vivemos, Festival Internacional de Filmes sobre Deficiência, que está em sua sexta edição e foi o responsável pela introdução da Audiodescrição em eventos culturais no Brasil. Produziu quatro premiados curtas-metragens de ficção e os longas-metragens Incuráveis, (2005) e Saias (2014), além de diversas mostras de cinema. Produziu também peças de teatro, entre elas o infantil Leonel Pé de Vento, com acessibilidade. Concebeu o Portal Acessível Blind Tube. Fez a curadoria e a produção executiva do Programa Assim Vivemos, da TV Brasil. Atualmente, dirige os projetos de Acessibilidade no Teatro no Oi Futuro e no Teatro Carlos Gomes. É mestre em Literatura Brasileira e doutora em Literatura Comparada (UERJ).

 LOCAL: CENTRO DE CONVENÇÕES ANHEMBI – SÃO PAULO/SP - DE 13 A 15 DE AGOSTO

Mais informações pelo e-mail: simpósio.deficiencia@sedpcd.sp.gov.br
Telefone: 11 5212-3764 (Márcio) 

CURSO DE FORMAÇÃO PARA CUIDADORES DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA FÍSICA E VISUAL



O curso tem o propósito de qualificar os participantes, com conhecimentos técnicos e comportamentais, para zelar pela qualidade de vida e bem-estar (saúde física, mental e social) da pessoa com deficiência. 


Público Alvo - maiores de 18 anos, com vínculo empregatício na área ou familiares ou familiares diretos de pessoas
com deficiência 


Período do curso
25/08/14 a 05/12/2014
Carga Horária
120 horas sendo 80h à distância e 40h presencial.
Modalidade
Online
Local do Curso
Escola de Educação Permanente – HCFMUSP
Rua Dr. Ovídio Pires de Campos, 471 – Cerqueira Cesar – São Paulo – SP
Número de vagas
300 vagas
Público Alvo
Pessoas acima de 18 anos
Objetivo Geral do curso
Qualificar os participantes, com conhecimentos técnicos e comportamentais, para zelar pela qualidade de vida e bem-estar (saúde física, mental e social) de pessoas com deficiência.
Período
De 30/06/2014 a 15/08/2014
Situação da Inscrição
Aberta
Documentação Necessária
Cópia do RG;
Cópia do CPF;
01 foto 3×4.
Comprovante de vínculo empregatício na área ou familiar direto de pessoa com deficiência (a não comprovação impedirá a matrícula)
Depósito
.
Processo Seletivo
Serão selecionados por ordem de inscrição
Pré-requisito: maior de 18 anos, com vínculo empregatício na área ou ser familiar direto de pessoa com deficiência.

Contato
Escola de Educação Permanente
Fone: 2661-7025
cursosmuti.eep@hc.fm.usp.br

Inscreva-sehttp://hcfmusp.org.br/portal/cursos/?aid=2&cid=100329 

26 julho, 2014

Libras - Shakira La La La

Esta é uma interpretação da letra da musica da Shakira feita sem ação performática exagerada, teatro ou dancinha. Foi apenas uma tradução da poesia ( letra ) baseada no meu olhar pessoal e nas minhas escolhas lexicais que achei que mais se encaixavam na ponte entre a Libras e o Ingles. Sei que poesias são intraduziveis e que se a pessoa que escreveu esta letra estivesse ao meu lado, as frases seriam mais completas e se outra pessoa fizer também uma tradução, certamente ficará de outra forma, pois mudará o olhar e os lexicos serão outros. Por isso não me atrevo a dizer que esta é a música da Shakira em Libras. Usei basicamente as mesmas configurações de mãos em todas as estrofes para dar o sentido de rima, essa foi minha preocupação central para que mesmo assim houvesse sentido e a mensagem não se perdesse.

from 
video

02 julho, 2014

Luvas inovadoras podem ensinar a ler braile em 45 minutos

O aprendizado de qualquer língua é uma tarefa complexa e com o braile não é diferente. Contudo, um experimento realizado no College of Computing, na Georgia Tech, nos EUA, promete tornar as coisas mais fáceis.
Com o auxílio da tecnologia háptica, pesquisadores afirmam ser possível aprender a escrever ou até mesmo a ler em braile em cerca de 45 minutos.
A luva criada por Thad Starner e Caitlyn Seim utiliza um pequeno motor vibrador no punho e é isso que torna o aprendizado do braile possível. Sem precisar prestar atenção de fato nas mãos, a vibração, junto a um áudio com as letras que são escritas, proporcionam um aprendizado praticamente inconsciente. Explicamos: os motores vibram em uma sequência que corresponde ao padrão de uma frase em braile e, ao mesmo tempo, o áudio informa quais são as letras dessa sequência.
Diversos experimentos com a luva foram realizados e, em todos eles, os participantes conseguiram digitar a frase sem o auxílio dos vibradores após passarem pela fase de aprendizado. O mais curioso é que, mesmo distraídos com um joguinho e sem prestar atenção nas vibrações da luva, foi possível aprender as frases e não só reproduzi-las, mas também lê-las.
 
 
 
Via PSFK

02 junho, 2014

Argentinos criam app que transforma celular em aparelho auditivo

Um grupo de estudantes de engenharia de Jujuy, extremo norte da Argentina, criou o aplicativo uSound, capaz de transformar o celular em um poderoso aparelho auditivo de baixo custo para pessoas com problemas de audição, uma opção já está disponível para usuários do sistema Android.
"Só uma em cada 40 pessoas com perda auditiva tem acesso ao equipamento médico necessário para mitigar seus problemas", disse Ezequiel Escobar, de 28 anos, um dos fundadores do uSound, o equipamento que deu origem ao aplicativo homônimo.
A invenção tomou forma junto com seus colegas da Universidade Católica de Santiago del Estero, em sua sede de San Salvador de Jujuy, 1.500 km ao norte de Buenos Aires.
Ao preço de US$ 30 por ano, Escobar e outros cinco estudantes – a maioria alunos de engenharia de sistemas e todos com idades entre 20 e 28 anos – conseguiram com o uSound "emular as funções de um aparelho auditivo que custa entre US$ 500 e US$ 2.000 com um smartphone e fones Bluetooth ou cabo", contou.
Com o uSound, os jovens participaram da competição internacional Cup da Microsoft e foram selecionados, após a inovação ter sido difundida na mídia local argentina. Atualmente, pode-se baixar o programa gratuitamente e o interessado pode conseguir uma licença sem ter que pagar nada por 30 dias para testar o serviço com todas as suas funções.
O custo do aplicativo é de US$ 2,5 mensais ou US$ 30 anuais e está disponível na Google Store.
Uma invenção para um amigo 
A inspiração para a invenção, contou Escobar, foi um colega de faculdade que acabou abandonando a carreira porque não ouvia bem, e quando não conseguia um lugar perto do professor, perdia a aula.
"Com o uSound, por exemplo, uma pessoa hipoacústica pode colocar o celular na mesa do professor e, não importa a que distância esteja, usando fones Bluetooth, pode ouvir perfeitamente", explicou o jovem empreendedor.
Escobar explicou que durante o período de testes, houve mais de 3.000 downloads de Argentina, Brasil, Espanha e Estados Unidos, entre outros países. O aplicativo também oferece a possibilidade de realizar, preventivamente, uma audiometria com o celular. Depois de realizá-la, o usuário entra no aplicativo e o programa altera automaticamente o nível de audição necessária para o usuário.
O grupo já tem escritórios em Jujuy, capital da província homônima do estado do norte da Argentina, e em Santiago do Chile. Além disso, esperam abrir no começo de 2015 outros na Espanha, aliado à Telefónica, e nos Estados Unidos (Houston ou Vale do Silício).
Especialistas da organização sem fins lucrativos MAH (Mutualidad Argentina de Hipoacúsicos) comemoraram o lançamento deste aplicativo, mas advertiram para a necessidade de que os pacientes tenham acompanhamento e controle médico e evitem a automedicação.
"Ainda não testamos o aplicativo, mas deve-se levar em conta que, segundo a legislação vigente, o uso de próteses auditivas deve ser prescrito por um otorrinolaringologista e a escolha é feita por fonoaudiólogos", disse Horacio Cristiani, diretor geral da instituição.
O especialista considerou que "é um aplicativo que pode ajudar as pessoas a aproximar os usuários da tecnologia da amplificação a um custo reduzido, sem que se sintam complexados pelo uso de uma prótese".

fonte: G1

CURSO ENSINO DA ARTE NA EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSIVA

MINISTÉRIO DA CULTURA
GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO
SECRETARIA DA CULTURA
apresentam
CURSO ENSINO DA ARTE NA EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSIVA
VERSÃO ACESSÍVEL
11ª Edição - 2014
PINACOTECA DO ESTADO DE SÃO PAULO
 
Período: 07 de agosto a 13 de novembro de 2014.
Periodicidade: Semanal - 5ª feiras (13h30 às 17h30).
Nº de aulas: 15 aulas (60 horas/aula).
Público alvo: Profissionais das áreas de Artes, Museus, Educação, Turismo e Saúde.
Nº de participantes: 25
Pré-inscrição para seleção: 02 de junho a 20 de julho.
Depois de preenchida, a ficha deverá ser enviada para o e-mail: educaespecial@pinacoteca.org.br.
Período de Inscrição para os selecionados: 22 a 25 de julho.
(das 10h às 12h e das 14h às 17h).
Local de inscrição: Núcleo de Ação Educativa
Pinacoteca do Estado de São Paulo - Praça da Luz, 02.
Informações: (11) 3324-0945 ou 3324-0941.
Local do curso: Pinacoteca do Estado de São Paulo – Praça da Luz, 02.
Objetivo do curso: Dar subsídios a profissionais que atuem nas áreas de Artes, Museus, Educação, Turismo e Saúde para o planejamento de programas ou aulas de artes do ensino formal ou não formal, dirigidos a públicos e classes especiais ou inclusivas, tendo como referência o Programa Educativo para Públicos Especiais e as obras do acervo da Pinacoteca de São Paulo.
O curso propõe, a partir de ações educativas inclusivas e didáticas de ensino multissensoriais, contribuir para a fruição e o conhecimento mais amplo e significativo da arte, levando em consideração as necessidades e potencialidades de pessoas com deficiências físicas, intelectuais, sensoriais e emocionais.
Observação: o curso oferece vagas para educadores e profissionais com deficiências auditivas e visuais.
 
Descrição do convite: o convite com fundo branco, escrito com letras pretas e rosas, é ilustrado por quatro fotos coloridas de ações do curso: a primeira mostra um grupo de três alunas desenhando e recortando na aula oficina, a segunda mostra várias pessoas assistindo a uma apresentação no auditório da Pinacoteca; a terceira mostra um aluno com deficiência visual conhecendo a maquete do prédio da Pinacoteca com o acompanhamento de uma educadora, e a quarta mostra uma educadora mostrando os recursos educativos em uma sala do acervo, com um grupo de alunos em volta de uma base onde se apoiam esses materiais, diante dela. Na base do convite, os logotipos de patrocinadores Master (Lei de Incentivo à Cultura, IBM, Banco do Brasil e Mapfre Seguros), de patrocinadores (Cielo e Sanofi), do apoiador (Even) e dos realizadores (Pinacoteca, Governo do Estado de São Paulo e Ministério da Cultura). Abaixo delas, pequenos quadrados e retângulos verde-azulados, organizados em duas fileiras simétricas, representando a fachada da Pinacoteca com muitas janelas e uma grande porta em arco no centro.